Resumo Sessão Ordinária

25/10/17 às 08:20:24

Resumo Sessão Ordinária

Os Vereadores da Câmara Municipal de Clementina reuniram-se no dia 24 de outubro (terça-feira), às dezenove horas e trinta minutos, em sessão ordinária para deliberarem sobre o Projeto de Lei 24/2017 de autoria do Vereador Ronei Fernandes de Lima, que diz em sua ementa “Autoriza o Poder Executivo Municipal a instituir o projeto “Nasce uma Criança, Planta-se uma Árvore” e dá outras providências”, posto em discussão e votação, foi aprovado por unanimidade de votos

Pela primeira vez em 10 anos, mais de 60% dos médicos são aprovados no exame do Cremesp
22/02/2018 13:40:31

De acordo com o órgão, é a primeira vez que avaliação teve mais de 60% de aprovados. Pela primeira vez, exame do Cremesp tem mais de 60% de aprovação O Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (Cremesp) afirma que, pela primeira vez em 10 anos, mais da metade dos recém-formados em escolas médicas do Estado de São Paulo foi aprovada na avaliação organizada pela entidade. Dos 2.636 médicos que participaram do exame em 2017, 64,6% acertaram mais de 60% das 120 questões da prova, porcentagem que o Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (Cremesp) considera mínima para a aprovação. Os outros 35,4% acertaram menos de 60% das questões. O Cremesp afirma que houve melhora no desempenho das escolas privadas, mas elas ainda apresentam maior percentual de reprovação que os cursos da rede pública. "Como em anos anteriores, as escolas médicas paulistas privadas tiveram maior percentual de reprovação que os cursos públicos. No entanto, houve aumento importante de aprovação em comparação ao Exame de 2016 entre os egressos das instituições privadas, passando de 33,7% para 56,8%. Já entre os cursos de Medicina públicos, 79,7% dos alunos foram aprovados, em 2017, também superando os resultados de 2016, com 62,2%", afirma o Cremesp. Como é o exame A 13ª edição do Exame do Cremesp foi realizada no dia 22 de outubro de 2017 nos municípios de Botucatu, Campinas, Marília, Presidente Prudente, Ribeirão Preto, Santos, São Carlos, São José do Rio Preto, São Paulo e Taubaté. Aplicada pela Fundação Carlos Chagas (FCC) e composta por 120 questões de múltipla escolha, a prova - com duração de até cinco horas - abrangeu as seguintes áreas: Clínica Médica, Clínica Cirúrgica, Pediatria, Ginecologia, Obstetrícia, Saúde Pública, Epidemiologia, Saúde Mental, Bioética e Ciências Básicas. Para ser aprovado, o candidato deveria responder corretamente a 72 questões, o que corresponde a um percentual de acertos de 60%. Os critérios e a metodologia foram os mesmos utilizados e validados nos exames anteriores. Das 46 escolas médicas em atividade no Estado de São Paulo em 2017, 32 foram avaliadas no Exame - as demais, abertas há menos de seis anos, ainda não haviam formado turmas à época do Exame. Em 2018, já são 56 escolas médicas no Estado, sendo 51 em atividade. Importância da avaliação Todo estudante que se formou em medicina e quer se inscrever no conselho paulista precisa fazer o exame para poder tirar o registro do CRM (Conselho Regional de Medicina) e atuar como médico no estado. Apesar de ser um exame obrigatório, mesmo quem for reprovado também pode obter o registro. Isso porque, por força de lei, o conselho não pode condicionar o registro médico ao resultado de uma prova. Para tanto, seria preciso uma lei federal, como acontece com a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). Entretanto, desde 2016, de acordo com o Cremesp, a participação no exame passa a ser critério para acesso à Residência Médica, concurso público e mercado de trabalho. Programas de Residência Médica, como da Unicamp, USP de São Paulo, USP de Ribeirão Preto, Santa Casa, Unifesp, ABC, Hospital do Servidor Público Estadual, FM Rio Preto entre outros, passaram a exigir a participação no Exame do Cremesp como condição para o acesso à Residência.

FotoWebmail
Webmail